Via Sacra

Segue com piedade e agradecimento as catorze estações da Via Sacra, reflectindo no que aconteceu em cada uma delas. Jesus Cristo padece e morre para nos redimir do pecado.

Começa com o Sinal da Cruz e um Acto de Contrição.

1ª Estação: Jesus é condenado a morte.
É inocente, mas todos condenam Jesus por cobardia, por soberba, por maldade ou porque não acreditam n´Ele. Senhor, eu creio em Ti! No entanto, porque Te condenei e Te lancei fora do meu coração?

2ª Estação: Jesus toma a sua Cruz.
Leva-a por mi, para me salvar. Obrigado, Senhor. Que eu Te siga, levando por Ti com amor a cruz do meu trabalho, do meu dever, das minhas penas e dores.

3ª Estação: Jesus cai sob o peso da Cruz.
A cruz é tosca e pesada; mas ainda Te pesam mais e Te esmagam os meus pecados, e Tu cais para os reparar. Perdoa-me e ajuda-me a levantar-me. Basta já de pecar!

4ª Estação: Jesus encontra sua Mãe Santíssima.
Numa curva da Rua da Amargura, a Mãe das Dores espera-O; contempla-O e chora. Minha Mãe, sai também ao meu encontro; ajuda-me no meu caminho.

5ª Estação: Simão Cireneu ajuda Jesus a levar a Cruz.
Não estavam lá nem Pedro, nem Tiago, nem André…e Tu não podias mais; os Teus amigos não estavam, e obrigaram um homem que vinha do campo a ajudar-Te. Recordando a Tua fadiga e desamparo no caminho do Calvário, proponho-me ajudar em Teu nome aqueles que vir que estão sobrecarregados e não podem mais.

6ª Estação: Uma piedosa mulher enxuga o rosto de Jesus.
Uma mulher forte e valente, entusiasta de Deus, dá-me um grande exemplo. Assim devo eu actuar: valente e fiel na minha fé e no meu amor a Jesus.

7ª Estação: Jesus cai pela segunda vez.
Um dia vimo-l´O caminhar seguro por cima das águas do mar, mas agora cai uma e outra vez. É a hora da redenção e é preciso pagar por muitos pecados – também pelos meus. Perdão Senhor, e obrigado pelas Tuas quedas e pelo Teu amor.

8ª Estação: Jesus consola as filhas de Israel.
“Não choreis por Mim”, diz-lhes e dá-nos um aviso: ai daquele que é como uma árvore seca que não dá fruto! Senhor, que a minha vida não seja uma vida inútil. Quero viver fazendo o bem; seguir-Te, e ser apóstolo do Teu amor.

9ª Estação: Jesus cai pela terceira vez.
A Tua Santa Face chega até ao pó do caminho. Agora posso dizer que o Teu amor e o Teu sangue estão ao meu alcance, para purificar-me; chegas-Te até mim que sou pó, terra calcada, manchada. Tem piedade de mim porque sou um pecador.

10ª Estação: Jesus é despojado das suas vestes.
Despojam-n´O das suas vestes diante da multidão curiosa; diante dos seus inimigos que zombam; diante da sua Mãe que chora. Que horror pensar que me fiz culpável de tanta ignomínia com as minhas imodéstias, impurezas e loucuras! Perdão, perdão!

11ª Estação: Jesus é pregado na Cruz.
Primeiramente uma mão, com pregos grossos e umas marteladas; depois a outra; e finalmente os pés. No Calvário, Jesus une a terra com o Céu: é Homem e faz-Se responsável de todos os pecados e crimes dos homens; é Deus e pode chegar ao Pai e obter o perdão – para mim também. Obrigado! Ajuda-me a ser agradecido.

12ª Estação: Jesus morre na Cruz.
A morte de Jesus na Cruz é o momento mais alto da história da Humanidade. O Filho de Deus morre por todos, para nos redimir a todos.
O Pai recebe uma satisfação plena.
Agora, minha salvação eterna depende da minha correspondência à graça de Deus. Junto da Mãe das Dores fico em silêncio, contemplando Jesus que morreu por mim e por todos. Que mais podia ter feito por mim que não fizesse?

13ª Estação: Jesus é descido da Cruz e entregue a sua Mãe.
Como um botão de rosa perfumado e belo no-l´O entregou Maria em Belém. Agora, os homens devolvem-lhe só o talo e os espinhos: um Cadáver chagado, arroxeado, sem sangue, rígido. Esta foi a obra do pecado. Esta é a grande prova do amor do nosso Deus. Mãe das Dores, permite-me beijar os pés do meu Cristo, com a dor de amor com que os beijariam Maria Madalena e o Apóstolo João.

14ª Estação: Jesus é colocado no sepulcro.
Como corresponde aos mortos, afastam o cadáver de Jesus do caminho dos vivos. Colocam-n´O num sepulcro escavado na rocha, e rolam uma pedra sobre a entrada do sepulcro. A seguir, o pranto e a solidão de Maria.
Mas, ao terceiro dia, o grande Dia da ressurreição gloriosa do Senhor. Aleluia! O Senhor ressuscitou glorioso, Aleluia!!!
Obrigado, Jesus, por tudo! Quero recordar sempre que “amor com amor se paga”.

(Um Pai-Nosso pela pessoa e intenções do Santo Padre).
Anúncios