A nossa esperança

Boletim de Novembro-1A esperança é um pouco como o fermento, que faz dilatar a alma; existem momentos difíceis na vida, mas com a esperança a alma vai em frente e contempla aquilo que nos espera. Hoje [dia de Todos os Santos] é um dia de esperança.

Os nossos irmãos e irmãs encontram-se na presença de Deus e também nós estaremos ali, por pura graça do Senhor, se percorrermos o caminho de Jesus. O Apóstolo S. João conclui: «Todo aquele que n’Ele tem esta esperança torna-se puro, como Ele é puro».

Também a esperança nos purifica e alivia. Esta purificação na esperança em Jesus Cristo leva-nos a caminhar depressa, com prontidão. Nesta antecipação do crepúsculo hodierno, cada um de nós pode pensar no ocaso da sua própria vida: Como será o meu ocaso? Todos nós teremos um declínio, todos! Encaro-o com esperança? Com aquela alegria de ser acolhido pelo Senhor? Trata-se de um pensamento cristão que nos incute paz. Hoje é um dia de alegria, mas de um júbilo calmo, tranquilo, da alegria da paz.

Pensemos no crepúsculo de numerosos irmãos e irmãs que nos
precederam, meditemos sobre o nosso ocaso, para quando ele chegar. Ponderemos no nosso coração e interroguemo-nos: Onde está ancorado o meu coração? Se não estiver bem ancorado, ancoremo-lo ali, naquela margem, conscientes de que a esperança nunca dececiona, porque o Senhor Jesus nunca desilude.

PAPA FRANCISCO, Homilia, 1 de Novembro de 2013

Anúncios